sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O livro viajante

Sou fascinada por leitura. Sempre estou com um livro na mochila, lendo no ônibus, no carro, enquanto ando na rua. Todo mundo diz que qualquer dia eu vou tropeçar lindamente na rua por essa minha mania, mas que nada! Eu já aprimorei minhas técnicas.

Então, não satisfeita em ter pelo menos 15 livros à espera de serem lidos na minha estante, eu saio emprestando livros das estantes do meus amigos. Desse jeito eu nunca vou conseguir ler todos os meus! Mas é incontrolável. Só quem tem essa mania de leitura entende.



Dessa vez o empréstimo veio mais de longe. De outra cidade, outro estado, outra região do país. Diretamente de Brasília eu recebi aqui em Belém um empréstimo especial: Marina, de Carlos Ruiz Zafón. O livro veio da estante da Thamy

Ela fez uma resenha do livro no blog dela (que vocês podem ler aqui) e insistiu que eu deveria ler. O tal do Zafón deve ser bom, então. Eu nunca li uma obra dele, então vamos acompanhar.
Outra coisa que fez o empréstimo mais especial ainda e que eu só descobri quando abri o pacote, é que ele já tinha passado antes pelas mãos de outra colega blogueira, a Jade Amorim. O livro foi presente de amigo secreto para a Thamy. Uma coisa meio três amigas e um livro viajante!
"Poucas coisas marcam tanto um leitor como o primeiro livro que realmente
abre caminho ao seu coração." Da sua A.S., Jade Amorim
Por tudo isso, Marina furou a fila da minha estante e agora está em primeiro lugar, para ser devorado logo depois que eu terminar de ler Praticamente Inofensiva, o último volume da série O Mochileiro das Galáxias!

7 comentários:

Jade Amorim disse...

OMG! O livro que eu dei de presente pra Thamy! Não acredito que ele já está ai contigo! oaksoaksoaksoka

Esse livro é ótimo, Zafón é meu autor preferido (leia a resenha de A Sombra do Vento). Minha letra é mó feia, né?

Então, se eu te contar que praticamente inofensiva não é o ultimo livro da série de O Mochileiro das Galáxias? Sério, outro cara lançou mais um livro, mas não lembro agora o nome.

Espero que goste de Marina, quando ler poooor favor me diz o que achou! *-*

Beeijos!

Harley Quinn ❥ disse...

Eu tambem tenho essa mania de ter sempre um livro a mão, pra completar ainda fones nos ouvidos, para minha sorte ainda não tropecei por ai, rs.

Suzi C.L. disse...

A capa do livro é linda *-*
Agora fiquei com muita vontade de ler. Ei, eu tenho o "Guia do Mochileiro" (os livros da série). Mas, ainda não tive aquele tempo de ler...U.U
Blog Abstrações

Suzi C.L. disse...

P.S.: Vou adicionar o seu blog ;)
Tumblr (Cantinho)

Renan Mendes disse...

Aí eu também tenho um monte de livro pra ler e venho aqui só pra ficar com vontade de ler mais um.
MUITO legal, rs.

Joana disse...

Minha madrinha comprou besse livro e recebeu a encomenda quando eu estava na casa dela. Ela disse que já tinha lido outro livro do mesmo autor e tinha gostado bastante. Na hora fiquei curiosa e quis ler. Seu post me fez relembrar desse livro e já o recoloquei na minha lista de leitura mental. Tenho vários na fila, mas sou como você, pego livro dos amigos e parentes e vira a mexe compro um que fura a fila e leio na frente dos outros.
Depois conta o que achou :)

Giovanna Alves disse...

"Então, não satisfeita em ter pelo menos 15 livros à espera de serem lidos na minha estante, eu saio emprestando livros das estantes do meus amigos. Desse jeito eu nunca vou conseguir ler todos os meus! Mas é incontrolável. Só quem tem essa mania de leitura entende."

Huahuahuahauhauahuah... Somos duas! Tenho um monte de livros esperando na minha estante, e dá-lhe pegar livros viajantes no Skoob ou emprestar de amigos. Esse ano já li dois livros, to no terceiro, e nenhum deles é meu. Já tem um quarto na fila, que também é emprestado.

Já li "O Jogo do Anjo", deste autor. É uma leitura bem instigante. Já me recomendaram muito também "A Sombra do Vento", escrito antes de "O Jogo do Anjo" e que tem alguns cenários em comum.

Tenho uma paixão por livros com dedicatórias, mesmo que não sejam pra mim. Já solicitei livros em sites de troca que vem com dedicatórias e acho simplesmente encantador! Penso que é como se o livro ganhasse personalidade e história além daquela que todo livro tem. Ele deixa de ser só mais um exemplar comprado numa livraria, pra ser um exemplar único.